Georgia Guidestones ou Pedras Guia da Geórgia

Uma das grandes doenças mundiais é a ânsia por sensacionalismo, o que confunde a razão. Em contrapartida, também encontramos movimentos retrógados, os quais parecem estar encarregados de obscurecer a verdade, mesmo que esta se mostre nua por todo o lado onde possamos olhar. As Guidestones da Geórgia enquadram-se perfeitamente dentro desses dois contextos. Por outro lado, também podemos encontrar muitos que honestamente procuram respostas aos mistérios que se apresentam, por muito enigmáticos que pareçam ser. Não há sombra de dúvida que as portas do conhecimento franqueiam a entrada a todos os que deixarem para trás conceitos obsoletos assim como o fundamentalismo inculcado pelos que, com consciência ou não, defendem princípios sem sentido, estimulando a ignorância e perpetuando o obscurantismo medieval, enquanto combatem ideias novas. Dessa forma, a milenária manipulação da psique humana continua em grande estilo.
     Um dos grandes mistérios dos séculos XX e XXI são as Georgia Guidestones, monumento também conhecido por Monolito da Geórgia ou Prisma de Significado. O monumento fica situado no morro mais alto do município de Elbert, estado da Geórgia, Estados Unidos. Essas pedras aparentam ser um manual que tem por fim guiar a Humanidade em um futuro próximo, na chamada Idade da Razão. Alguns se referem ao que está gravado nessas pedras como sendo os dez mandamentos da Nova Ordem Mundial, o que tem criado muita polêmica. Outros dizem que é a mensagem do anticristo. Que interpretação será a correta?
Desde o início da construção das Georgia Guidestones que esse monólito está envolto em mistério. Em junho de 1979, um cavalheiro muito bem vestido e bem falante visitou o escritório de uma companhia de granito, Elberton Granite Finishing Company, dizendo que queria erguer um monumento com o objetivo de transmitir uma mensagem à Humanidade. Apresentou-se como sendo R. C. Christian, o que logo se descobriu não ser seu nome verdadeiro, pois na pedra que fica na horizontal ao lado do monumento ficou gravado ser um pseudônimo. Christian também anunciou representar um grupo de americanos que “procuram” a Idade da Razão, também gravado na mesma pedra. Até hoje não se sabe quem esse homem era ou quem representava. Essa estrutura, também chamada Stonehenge Americana, foi concluída em março de 1980. O terreno onde o monumento foi erguido pertence ao condado de Elbert, ou seja, do governo, depois de ter sido comprado a fazendeiros no dia 1 de outubro de 1979. Portanto, uma doação de R. C. Christian ao povo americano.
   O monumento é feito de granito azul, muito raro e lindíssimo. Foi construído de forma a resistir ao tempo, como se a mensagem que transmite não fosse dirigida ao mundo atual, mas ao futuro. Consiste de quatro blocos principais, nos quais estão gravadas dez regras de conduta em várias línguas: inglês, espanhol, suaile (idioma da costa africana de Zanzibar) hindi, hebreu, árabe, chinês e russo. Sua mensagem é filosófica, política, astronômica, social e ambiental. No entorno da pedra que fica no topo da estrutura estão escritos os nomes de quatro línguas antigas. Uma em cada lado: babilônia, grego clássico, sânscrito e hieróglifos egípcios.
A pedra central tem três pontos essenciais, os quais são relativos à astronomia: 1. Um buraco perfurado através da pedra indica o polo celeste, ou seja, o ponto que parece estar fixo no céu, enquanto outros pontos aparentam girar em volta. 2. Uma ranhura na horizontal indica o movimento anual do sol. 3. O raio de sol através da pedra que cobre o monumento marca o meio dia ao longo do ano. O monumento está alinhado com a posição do sol nascente e dos solstícios. Isto nos lembra as pirâmides e observatórios, tanto do oriente como da América Central, sempre posicionados em relação aos fenômenos astronômicos.
A poucos metros do monólito e na horizontal ao nível do chão, encontra-se uma placa de granito com explicações sobre a estrutura, as línguas, aspectos astronômicos, data de instalação e sobre os patronos do projeto. O interessante é esta placa estar escrita de forma inconsistente, no que diz respeito à pontuação, tendo um erro ortográfico na palavra pseudônimo.

As inscrições também indicam que enterrada sob a mesma pedra se encontra uma cápsula do tempo. Imediatamente após da data em que o monumento foi inaugurado, 22 de março de 1980, encontra-se gravado um quadrado e por baixo as palavras: Que estas pedras guias durem até a Idade da Razão. Do lado esquerdo da pedra está escrito:
Autor: R.C. Christian
(um pseudônimo)
Responsáveis: um pequeno grupo de americanos que procuram a Idade da Razão.
Cápsula do Tempo: colocada a seis pés (dois metros) abaixo deste ponto. A ser aberta em – sem data.
Muitas outras cápsulas do tempo espalhadas pelo mundo, também estão enterradas dentro de cofres de aço inoxidável e também sem data fixa para serem abertas. Entre as mais conhecidas, Helium Centennial Time Columns em Amarillo, Texas, e outras em New Jersey, Michigan e Noruega.

As dez frases guias gravadas no monólito e escritas em oito línguas vivas são:
1. Manter a humanidade abaixo de 500.000.000 em um balanço constante com a natureza.
2. Controlar a reprodução de maneira sábia - aperfeiçoando as condições físicas e a diversidade.
3. Unir a humanidade com um novo idioma vigente.
4. Controlar a paixão - fé - tradição - e todas as coisas com razão moderada.
5. Proteger povos e nações com leis e cortes justos.
6. Permitir que todas as nações se regulem internamente, resolvendo disputas externas em uma corte mundial.
7. Evitar leis insignificantes e governantes desnecessários.
8. Balancear direitos pessoais com deveres sociais.
9. Valorizar a verdade – a beleza – o amor - procurando a harmonia com o infinito.
10. Não ser um câncer na terra - Deixar espaço para a natureza - Deixar espaço para a natureza.

Estes mandamentos estão divididos em quatro temas:
1. Bases de uma constituição mundial.
2. Apelo ao controle da população.
3. Consciência ambiental na relação com a natureza.
4. Espiritualidade.

Sintetizando tudo o que foi escrito e comentado da parte dos que veem nas Guidestones uma ameaça, ou de religiosos que sentem as fundações de suas doutrinas serem destruídas:
- As Guidestones são parte da agenda da Elite Maçônica/Illuminati.
- Exterminação de 80% a 90% da População Mundial.
- Instauração de uma seleção artificial de seres humanos através da Eugenia.
- Imposição de uma língua global.
- Governo impedindo a liberdade de pensamento a toda a população.
- Proteção ao indivíduo, mesmo contra sua própria vontade. Ou seja, negação do direito ao livre arbítrio.
- Qualquer país ou região teria de resolver suas disputas segundo um poder global.
- Políticos e leis não seriam escolhidos através de eleições.
- Deveres sociais serem condição para obter direitos pessoais.
- Eliminação de todas as religiões.
- A vida humana passa a ser supérflua usando o meio-ambiente como pretexto.
      Depois de ter relido vezes sem conta a mensagem das Guidestones, me pergunto onde foram encontrar entrelinhas que levem a tais interpretações.
     Quanto ao arquiteto desse monumento, R. C. Christian, este nome lembra o fundador da Ordem Rosacruz, Christian Rosenkreuz, que em inglês seria Christian RoseCross, mais conhecido como R. C. Christian. As lendas que rodeiam R. C. Christian são, no mínimo, fantásticas. Alguns ocultistas, como Rudolf Steiner e Guy Ballard, afirmavam que no século XVIII, R. C. Christian teria reaparecido na lendária figura do alquimista Conde de St. Germain. Outros creem que Rosenkreuz é um pseudônimo do famoso Francis Bacon, visconde de Saint Alban, considerado como sendo o fundador da ciência moderna.
Idade da Razão
As Georgia Guidestones, ou Pedras Guia da Geórgia, é claramente um monumento erigido em reconhecimento à filosofia de Thomas Paine, a qual este adotou e pela qual lutou toda a sua vida. Thomas Paine, um dos pais fundadores dos Estados Unidos, muito influenciou a Revolução Francesa com o livro Os Direitos do Homem, um guia das ideias Iluministas. A Idade da Razão (The Age of Reason) publicado em três volumes, 1792–94, é um livro que advoga o deismo e promove a teologia natural e um Deus criador. Para Paine a religião institucionalizada, principalmente doutrinas cristãs, o que hoje seria referente a todas as religiões fundadas em Abraão, as quais promovem o coletivismo e criacionismo em lugar do pensamento livre que ele tanto defendia e que, a seu ver, seriam a razão pela qual a Humanidade não poderia progredir. Como muitos antes e depois dele, incluindo os Iluministas, Paine atacava a corrupção da Igreja, como, anteriormente e de outra forma, Marinho Lutero o tinha feito. Também e acima de tudo defendia a razão em lugar da revelação, o que rejeita os milagres bíblicos. Por essas ideias Thomas Paine foi ridicularizado por políticos e religiosos, tanto nos Estados Unidos como em Inglaterra, mas o livro não deixou de ser um bestseller. No livro A Idade da Razão, Thomas Paine afirma: “O mundo é o meu país, toda a Humanidade são meus irmãos e fazer o bem é a minha religião”. Outra de suas frases célebres: “O melhor governo é o que governa menos”. Referindo-se à necessidade que sentiu em escrever esse livro, Paine afirma: ...”tornou-se excessivamente necessária uma obra desta natureza, a fim de que, nas ruínas gerais da superstição, dos falsos sistemas de governo e da falsa teologia, não percamos de vista a moralidade, a humanidade e a teologia que é verdadeira”.

Iluminismo e Illuminati

Não cabe neste artigo desenvolver a diferença entre Iluminismo e Illuminati. Porém, algo tem de ser dito, pois muitos pensam que ambas linhas de pensamento se entrelaçam e defendem os mesmos interesses, o que não é verdade. Entre essas duas correntes há uma imensa e vasta diferença, podemos mesmo dizer que são opostas. Para que se entenda a profundidade do que está escrito nas Georgia Guidestones, uma pequena explicação tem de ser feita. O grupo Illuminati da Baviera que deu origem a grupos antigos e modernos, assim como o escandaloso grupo do qual a maior parte dos membros são da arena política, Bohemian Grove, também serve os objetivos de outros grupos. A ala mais poderosa, inclui as famílias Rothschild, Rockefeller, Morgan, Carnegie, Vanderlip, Aldrich, grandes banqueiros, famílias reais europeias etc. É este grupo que atualmente se encontra em fase avançada no estabelecimento das fundações para que a Nova Ordem Mundial venha a ser uma realidade no próximo futuro. Esses são os chamados Illuminati.
    Por outro lado, Iluministas, ou seja, partidários das ideias herdadas pelo Iluminismo, Era ou Idade da Razão, é um movimento intelectual e cultural que procurou e atualmente procura mobilizar o poder da razão, reformando conceitos e filosofias inadequados ao nosso tempo, assim como a propagação de novas ideias fundadas em conhecimentos científicos. Quem mais condena o Iluminismo são movimentos religiosos, enquanto infiltram o veneno da calúnia nas sociedades, identificando-os aos Illuminati. Isto por que o Iluminismo expõe dogmas religiosos, sejam eles quais forem, demonstrando a crua realidade, pois esses dogmas e crenças nunca trouxeram paz e bem estar às populações, antes pelo contrário. Muitas guerras têm sido aceitas como santas, mas que na realidade apenas defendem doutrinas e deuses representados por homens cheios de ganância. Esses mesmos homens que deveriam propagar respeito e dignidade, humilham aqueles que os apoiam sem qualquer sombra de compaixão ou piedade, manipulando a psique e a vida de seus fiéis - além da bolsa. O resultado é que a ignorância humana está chegando ao clímax, assim como a fome e a miséria. Continentes inteiros sofrem a maior indigência, como a Índia e a África, para não falar de uma grande parte da América Latina e outros lugares do planeta, como guetos, favelas, condições inumanas nas prisões, e mesmo em hospitais e manicômios, enquanto as igrejas enriquecem cada vez mais, sendo muitas delas autenticas corporações multinacionais. Seus preceitos giram em torno da acumulação de capital em detrimento da valorização humana, oposto da filosofia de Cristo, o que os converte em verdadeiros “anticristo”.
A ganância e a maldade humana estão encaminhando a Humanidade a um ponto sem retorno, uma zona limítrofe, que indubitavelmente a levará à extinção. O planeta continuará girando e gerando outras formas de vida, mas a Humanidade atual pode estar prestes a desaparecer a menos que haja uma grande mudança na maneira de pensar e sentir, para que uma nova consciência renasça das cinzas do pesadelo em que a raça humana tem vivido. A esperança é saber que forças desconhecidas, sejam elas humanas, cósmicas ou dimensionais, nos ajudarão a elevar a vibração orgânica e mental para que uma nova consciência surja. Apenas desse modo poderemos atingir o ponto que nos leva à nova raça, a qual será mais racional, amante e consciente de sua individualidade, assim como menos coletiva, no sentido de colaborar para a unidade pacificadora que emerge dessa nova consciência. Em contrapartida, os chamados Illuminati pretendem uma mudança através da força, em um mundo não democrático e sem identidade individual, como uma condenação à mesmice e ao atraso, pois só assim poderão sobreviver. O Iluminismo propõe uma nova corrente de pensamento, amante da natureza e dos princípios humanos, o que indubitavelmente levará a Humanidade a outro nível de percepção, intuição e conhecimento, portanto um novo mundo. Essa é a mensagem das Guidestones.

Ameaça ou Reforma?
Yoko Ono, viúva de John Lennon e muitos outros, têm sido criticados por publicamente aplaudir esse monumento e tudo o que ele significa. O antagonismo é fervente. Muitos consideram as inscrições como sendo os dez mandamentos do anticristo ou da Nova Ordem Mundial. A maioria dos que se manifestam contra as Pedras Guia, temem que a NOM esteja prestes a exterminar a Humanidade, de forma a que apenas sobrevivam 500 milhões. O maior antagonismo vem de fontes religiosas, cujas teorias inspiram pânico, acabando por se desvanecer na opinião pública que, sem saber os reais fatos, ecoa o ódio e o medo daqueles que os manipulam.

Desde o início da História conhecida que apenas deuses e profetas tinham direito a prever o futuro, ao que se chamava Revelação divina. Sabemos agora que muitos desses profetas eram pessoas que tinham conhecimentos astronômicos, matemáticos e de física, além de metafísica. Quem os teria ensinado? Será que os criadores das Guidestones da Geórgia são os mensageiros daqueles que no passado construíram monumentos como Baalbek, Tiwanaku ou Keops – os que “vieram do céu”, como indica a própria bíblia, referindo-se aos Nefilim e, sobretudo, os Tabletes da Suméria?  
     Hoje, através da ciência, tal como os antigos iniciados em ciências então ocultas, ou seja, ocultas ao homem comum, conseguimos prever ciclones, eclipses da lua e sol, até o início de uma nova Era Glacial, correntes marítimas como El Niño etc. Todavia, além de tudo isso, através de telescópios e sondas mandadas para o espaço, a NASA já consegue prever muitos fenômenos e suas repercussões, porém, ainda de uma maneira muito limitada. Apesar disso, a NASA descobriu, através das sondas Voyager e Ibex, que o sistema solar está entrando numa zona de intensa energia a qual chamam cinturão de fótons. Entre 2013 e 2015 todo o sistema ficará totalmente envolvido por esse campo magnético e energias que ainda nos são desconhecidas (Sonda Voyager). Depois de alguns anos, menos de 100, o sol entrará na chamada Bolha Local, ou seja, um gás de 6/7 mil graus Kelvin (Sonda Ibex).
Segundo os escritos dos anciões e muitos cientistas da atualidade, nem toda a Humanidade poderá sobreviver a tal impacto. Por um lado, toda a inteligência orgânica do sistema solar terá oportunidade de ressoar em uníssono com essa vibração, mas por outro, essa mesma ressonância e magnetismo poderão esmagar os que não vibrarem na mesma frequência e algo mais que ainda não conhecemos.  Para muitos poderá ser a entrada em outra dimensão e para outros a morte física. As previsões de hoje não se originam em profecias, mas na ciência desde a astrofísica à arqueologia. Porém, evidências apontam que os Maias não tinham conhecimentos tão científicos. Segundo eles, foram os deuses que “vieram do céu” que lhes ensinaram todo um sistema de contagem do tempo, que foram traduzidos em vários calendários, segundo os diferentes ciclos astronômicos. Com isso, podiam prever fenômenos, aos quais os homens do passado chamavam castigos ou milagres, por serem incapazes de conceber o seu significado. Isto foi o caso de muitos acontecimentos em outras regiões do planeta, entre eles as pragas de Moisés, que na realidade foram fenômenos provocados pelas terríveis explosões de Thera,  Kallisté (a mais bela) ou Santorini há aproximadamente 3.500 anos. Os deuses da Suméria sabiam que o degelo das calotas polares depois de uma era glacial estava prestes a acontecer, por isso o deus Enki da Suméria avisou Ziuzudra para construir uma nave impermeável. Ziuzudra passou a ser Atrachasis em acádio, o qual milhares de anos mais tarde foi absorvido e adaptado pelos descendentes de Abraão, hoje conhecido através do Pentateuco, do Alcorão e da Bíblia como Noé.

Cinturão de Fótons e os Maias
O sistema solar faz parte do sistema chamado Plêiades ou Objeto Messier 45, o qual é um grupo de estrelas na constelação do Touro. As Plêiades, também chamadas “aglomerado estelar”, eram conhecidas por todas as culturas. Os Persas as chamavam  Parveen/parvin e Sorayya, os Maias  de Tzab-ek e os Astecas de Tianquiztli. Os japoneses de Subaru, logo dos carros com o mesmo nome. O sol é a oitava estrela da espiral que tem por centro a estrela Alcione nas Plêiades. A terceira estrela da espiral de energia de Alcione chama-se Maia e foram os Maias que entre os seus 17 calendários nos falaram do “Fim dos tempos”, o que na realidade significa o fim da atual noção que temos de tempo. Ao entrarmos nessa energia ou Cinturão de Fótons, o tempo não será mais como o compreendemos, assim como o espaço e a própria matéria. A realidade é uma coisa e a interpretação que temos dela é outra, a qual depende do nível da consciência individual e coletiva. Essa promessa de mudança de consciência é a razão pela qual os profetas na Bíblia se referiram a “Um novo céu, uma nova Terra”.  Todos esses Iluminados explicitamente deixaram noções da continuidade da vida depois dos tempos onde as mudanças seriam drásticas. Esse tipo de mudanças ou fenômenos cosmológicos sempre existiram. É parte da vida planetária e celestial.
    Algo incomum e desconhecido parece estar prestes a acontecer, devido ao ódio entre nações fomentado pelo desejo de poder dos dirigentes mundiais. Contudo, paralelamente, novos fenômenos naturais estão tomando forma. Todos já podemos sentir os primeiros passos que levam a algo novo e desafiante, nem que seja através de um incompreensível, profundo e indecifrável desejo de mudança que nos vem de algo além da razão. Talvez do “padrão gravado” que herdamos da nossa origem cósmica.
Vejamos: o sistema solar está dando início à travessia que nos leva a uma região da Via Láctea onde a energia é diferente e muito mais intensa do que aquela que conhecemos. Essa travessia está dividida em ciclos, aos quais os Maias denominavam k’atun. Cada ciclo tem a sua própria série de profecias, todas elas representando a interligação Terra/cosmo. Os Sumérios tinham o número 195,955,200,000,000 chamado Nineveh constante, representando segundos. Maurice Chartelain nos diz que esse número corresponde a 6.2 milhões de anos. Dez ciclos desses são 62 milhões, o que os modelos dos cientistas William Tifft da University of Arizona e Harold Aspden, falecido em 2011, mostram representar os registros fósseis ou ciclos em que uma grande e geral mutação genética acontece na Terra. Aparentemente, segundo esses legados tão antigos, estamos sendo testemunhas de um fim de ciclo.
A evolução tem um tempo de predisposição, mas a mutação é instantânea. Isso acontece quando o sistema solar atinge uma carga de energia de alta frequência vinda de outros pontos da galáxia. O que se pensa, e o que as previsões dos antigos apontam, é que estamos entrando em outro ponto crucial desse ciclo, o que significa que algo poderá catalisar mais uma grande mutação, sobretudo devido às novas radiações cósmicas, as quais têm influência no comportamento do sol e no DNA de todos os organismos do sistema solar, incluindo os seres humanos.
   O cientista alemão Dieter Broers afirma que alterações no campo magnético da Terra provocadas pelas tempestades solares, irão alterar nossa percepção do tempo e da realidade. Dependendo da preparação de cada um, esse fenômeno irá produzir alterações na consciência, visto que quando o cérebro é exposto a campos eletromagnéticos de certa intensidade, indubitavelmente sofre alterações. Para Broers, que há trinta anos investiga este campo da ciência, o efeito das perturbações geomagnéticas criadas pelas tempestades solares é similar aos efeitos de alucinógenos, os quais levam o cérebro a produzir substâncias que distorcem a noção de realidade e tempo. Dieter Broers afirma que fortes tempestades solares, como as previstas para 2013/15, poderão afetar os sentidos de diferentes formas: distorção da noção de tempo, visões de presenças estranhas, vozes desconhecidas, sensibilidade a forças invisíveis e quem não enlouquecer e souber usar a intuição, sentirá uma fortíssima sensação de união com o Todo. Broers ainda afirma que o fator dominante que diferencia a experiência negativa da positiva é o medo. O cientista aconselha a meditar, pois esse exercício predispõe a mente a ir além do vulgar e do comum para assim melhor poder assimilar, entender e sobreviver à “grande mudança”.

Mudanças no sistema solar
Sabemos que tanto governos como muitos milionários de vários países estão construindo refúgios subterrâneos ou bunkers, na certeza de uma grande mudança a nível planetário. Muitas dessas construções se encontram em fase de conclusão e muitas já estão prontas. O que sabem eles que não dizem publicamente? Algo além do mito? Efeitos do alinhamento galáctico? – Ocorrência que só acontece uma vez em cada 26.000 anos, admiravelmente medida pelos deuses dos Mais e dos egípcios tantos anos atrás.
Nos últimos anos, tanto o sol como todos os planetas e alguns satélites do sistema solar sofreram grandes mudanças. Vejamos alguns:
Sol – Está acontecendo uma alta na atividade solar, mesmo massiva, como previsto para a segunda metade de 2012/13-15. Isso, depois do fluxo da superfície ter diminuindo de uma forma dramática em 2008. 
Mercúrio – Significante pressão magnética, o que não acontecia desde os anos 70.
Venus – Grande aumento no oxigênio. Em 2009 um ponto muito brilhante apareceu na superfície, para o qual os cientistas não têm explicação. O brilho do planeta aumentou consideravelmente o que se pode ver a olho nu.
Marte – Desde 1997 que a densidade atmosférica aumentou 200 por cento.
Jupiter – Elementos pesados na atmosfera, como oxigênio, diminuíram dez por cento entre 1979 e 1995, mas em 2005 três formações ovais apareceram repentinamente na atmosfera, aquecendo o planeta. Em 2006 essas formações uniram-se em uma, criando uma imensa tempestade, apenas comparável ao gigantesco ciclone a que chamam Red Spot.  
Saturno – Desde 2004 que a NASA detectou uma massiva emissão de raios X vindos de Saturno, devido a uma grande mudança neste planeta.
Urano – Em 2007 a Nasa anunciou que mudanças drásticas estavam acontecendo nos anéis de Urano, fenômeno para o qual os cientistas não encontram explicação. O brilho desse planeta também aumentou consideravelmente.
Neptuno – Desde 1989 que este planeta tem tido mudanças radicais. A Nasa chama Looming Mystery a um lugar muito brilhante que aparece como que migrando do norte para o hemisfério sul. Crê-se que o eixo poderia ter-se deslocado. Em muitas partes do planeta a luminosidade aumentou, em algumas duplicou. Em 2007 descobriu-se que o polo sul é mais quente do que o resto do planeta.
Plutão – Desde 1989 que este planeta se distancia do sol, mas a pressão atmosférica aumentou 300 por cento desde 1989 a 2002, elevando drasticamente a temperatura da superfície. Alguns dizem que essa pressão é devida à aproximação de outro planeta. Planeta X ou Nibiru?
Terra – Além do que é atribuído à poluição, este planeta está sofrendo grandes mudanças. Segundo a Nasa, os dois cinturões de radiação, Van Allen, aumentaram tanto que um terceiro cinturão apareceu. O mais inesperado e atemorizante é que os cinturões Van Allen consistem de prótons e o novo cinturão compõe-se de partículas de oxigênio, neônio e nitrogênio. Neônio é um elemento químico, Ne, cujos átomos são 10/10 prótons e elétrons, o qual se encontra na atmosfera em pequenas quantidades, porém muito abundante no universo. Por isso se diz que o universo é roxo. No fim dos anos 90, no lugar onde os buracos de ozônio tinham sido encontrados, foi detectado mais do que 5,000 por cento de ozônio na camada média da atmosfera, apesar da poluição. Fenômeno para o qual os cientistas não encontram explicação. Também foi encontrado muito mais hidroxílico do que a percentagem convencional. Na parte superior da atmosfera foi encontrada uma grande quantidade de energia, para a qual a NASA também não tem explicação, assim como não entende a razão porque as nuvens que migram da Antártida são muito mais brilhantes do que alguns anos atrás. A frequência da Terra ou pulsação, chamada Ressonância de Schumann, está aumentando drasticamente, enquanto que a força magnética declina. O geólogo Greg Braden afirma que os registros geológicos da Terra indicam que inversões magnéticas são cíclicas, talvez com intervalos de 13.000 anos. Desde 1940, que a trezentos metros de profundidade, os mares estão aquecendo, fenômeno que antes era inaceitável, visto os raios do sol não chegarem a tais abismos. Anomalias no campo magnético sugerem que alterações no polo magnético estão acontecendo há algum tempo. Pela primeira vez, em 2004, um ciclone, Catarina, foi detectado no hemisfério sul, na costa sul do Brasil. (David Wilcock, The Source Field Investigations. Dutton, 2011) O cientista Dr. Vincent Wickwar disse: “Tanto eu como muitos de meus colegas, suspeitamos de uma mudança global a qual não entendemos, mas sabemos que não é tão simples como mudanças de temperatura”.
O explorador, sociólogo e escritor Graham Hancock afirma que “a vida é mantida pelo progresso e movimento do tempo”. Porém, o que muitos não sabem é que o tempo flutua segundo os abismos galácticos por onde o sistema solar se desloca. Nada é estático e todo o movimento é como um caminho que percorre florestas, desertos de areia ou gelo, mares, cidades etc. O mesmo acontece com o sistema solar na sua rota através da galáxia. Atualmente, esta viagem cósmica nos conduz à chamada Hélice de Órion, enquanto nos banhamos na energia das Plêiades (Sete estrelas). "Procurai o que faz o Sete-estrelo e o Órion e torna a sombra da noite em manhã, e faz escurecer o dia como a noite, que chama as águas do mar, e as derrama sobre a terra." Amos 5:8. Será esta passagem bíblica uma demonstração do conhecimento antigo, prevendo mudanças no eixo e no magnetismo da Terra?
O mais importante de tudo e que terá inconcebíveis repercussões é que o sistema solar não é parte da Via Láctea, como se pensou até agora. O sistema solar é parte da galáxia anã Sagitário, a qual está sendo “aspirada” pela Via Láctea. A isso chama-se “convergência”. Os cientistas das universidades de Massachusetts e Virginia estavam em choque quando anunciaram que tinham acabado de descobrir que o sistema solar encontra-se no ponto exato da conexão onde as duas galáxias iniciam o cruzamento. Sagitário é 10.000 vezes menor do que a Via Láctea. Muitos cientistas que estudam este fenômeno pensam que terá grandes implicações no DNA. Descomedidas e rápidas mudanças já estão ocorrendo. O processo evolucionário gera longos períodos sem mudanças (stasis), interrompidos por curtos períodos de rápida evolução das espécies. O homo sapiens está neste momento atravessando uma grande mudança, pois o fim do antigo e o nascimento do novo acontecem em simultâneo. O bombardeamento de novas e mais poderosas energias muda o DNA e a consciência humana, o que implica transformações genéticas em tudo o que tem vida. Toda a matéria quanta do sistema se transforma enquanto colide com novas frequências, magnetismo, íons, radiação e poeira cósmica vindo da Via Láctea.

    Nessa nova matriz a energia é diferente e os fenômenos a encontrar ainda desconhecidos. Tal como astros e espaços, o ser humano, a própria fauna, flora e tudo o que é parte deste planeta, também encontrarão fenômenos e maravilhas que servirão de agentes à transformação da nossa raça. A nova raça, a sexta raça, é a promessa deixada aos tibetanos por seus antigos Mestres. Segundo os gregos seria a quarta raça humana, pois a terceira (nós) chama-se Dionísio Zagreus, assim como na Bíblia - a segunda seria depois de Noé e a terceira depois de Abraão – quando os homens passaram a viver menos anos e deixaram de encontrar-se ou ter filhos dos Nefilim, ou Annunaki “os vindos do céu”. Talvez nesses lugares para os quais a Terra transita, fazendo milhões de quilômetros a cada dia, as energias sejam mais adequadas ao tão procurado encontro com outros seres inteligentes, sejam eles os pais da Humanidade, outras formas de vida ou seres multidimensionais. Uma coisa é certa, esse encontro está cada vez mais próximo. Essa é a grande revelação do calendário Maia. Seria o arquiteto do monólito da Geórgia um arauto dos deuses?
 A mensagem nas Guidestones reafirma que a Humanidade não será extinta. Todavia, se houver um cataclismo e poucos sobreviverem, as direções ou mandamentos registrados nesse monumento serão um guia para que a nova Humanidade não venha a sofrer tanto quanto esta, sugerindo uma nova conduta para a população remanescente. Não há nenhuma razão para que haja fome, miséria e ignorância em um planeta tão rico como este. Se quisermos um mundo melhor, aí estão as leis, que não são apenas terrenas, mas universais. São recomendações justas, impregnadas de bom senso e amor, pois são conselhos para que a História não se repita e para que o ser humano seja mais feliz e compartilhe da plenitude e abundância após a regeneração da consciência.

As Guidestones não representam uma ameaça, mas um aviso. A população mundial não pode aumentar desmesuradamente. O objetivo do que aí está escrito não é diminuir a população, mas um método de vida para esses que se salvarem de algum desastre natural ou guerra hedionda. Jared Diamond no livro Colapso nos conta como a população da ilha de Páscoa e muitas outras civilizações e culturas desapareceram. Quanto maior for a população, se esta não for consciente, ao vilipendiar as riquezas naturais, como as florestas, tudo na terra sofre as consequências, além de aumentar as probabilidades de pragas devastadoras. Excedendo os limites da sustentabilidade do meio que nos mantém, inevitavelmente haverá uma contra reação da própria natureza. É por tudo isso que muitos místicos dizem que vivemos uma ilusão, o sonho de alguém, e que temos de acordar.
Chegou a hora.
    
Explodir, destruir ou pintar as Guidestones não fará a ameaça deixar de existir, pois não nos estão intimidando nem ameaçando com malefícios. Essas pedras são uma previsão e um aviso do que poderá acontecer se continuarmos nesta ilusória dormência sem consciência da nossa grandeza e também fragilidade, pois somos parte de um Todo que depende de outro Todo, e assim sucessivamente. Repito, a mensagem nas Guidestones da Geórgia, representa o conhecimento de alguns sobre os acontecimentos que nos precipitam para algo que inevitavelmente está para acontecer com o planeta Terra. Se assim for, esse monumento apresenta providências a tomar para que outra civilização não venha a sucumbir ou a sofrer tanto quanto a nossa, pois o sofrimento que assola mundo é inadmissível. Acima de tudo, a mensagem das Georgia Guidestones anuncia outros horizontes e a possibilidade de outra forma de existência muito mais desenvolvida, feliz e realizada do que a nossa.
   
O novo Homo, como a fênix, nascerá das cinzas daquilo que somos - do Homo sapiens. Temos todo o potencial necessário para nos desenvolver e transformar em outra raça. As ondas cósmicas, nas quais o sistema solar surfa, nos encaminham ao local adequado para a transformação, a qual será espontânea. Para sobreviver teremos de ter uma predisposição inteiramente livre de medo. Sem ilusões. Sem conceitos obsoletos. Com a mente aberta. O que está acontecendo não é destino, mas o ciclo inevitável do movimento dos astros dos quais, quer queiramos aceitar ou não, somos passageiros. Por isso, alguém aqui da Terra ou de outro lugar, nos avisa, assim como há milênios a mão da deusa Shiva nos indica - Não ter medo. Os que sobreviverem já têm as regras, gravadas em mármore, num dos lugares que aparentemente irá sobreviver a algum cataclismo. Quem sabe outra civilização do passado, ou outros seres extraterrestres ou intraterrestres também nos tenham avisado, usando uma cápsula do tempo que ainda não foi descoberta. Pergunto-me se não estará enterrada sob Stonehenge no sul de Inglaterra; Carnac no norte da França; Inukshuk no Canadá; pirâmides; sob as patas da esfinge no Egito ou tantos outros lugares misteriosos deste planeta. Porém, a realidade é que temos cápsulas do tempo por todo o lado, nas ruínas de incríveis edifícios, que ainda hoje, com toda a tecnologia, não podemos copiar. Também, nos museus, como os tabletes da Suméria, mas as forças ocultas que se dizem proteger-nos, na realidade não permitem que saibamos a Verdade, seja a que preço for. A força necessária para nos despertar só poderá vir da própria natureza. Disso não tenho dúvida. Talvez R. C. Christian tenha sido o mensageiro dos deuses, os quais os Maias tão ansiosamente esperam o retorno previsto para tempos não muito longínquos. Não tenhamos medo.

Rosa DeSouza
Autora de nove livros, entre eles:
“A Chave do Grande Mistério”
“Testiculos Habet et Bene Pendentes”- A Outra História da Humanidade
  Foto: Maria da Conceição Pontes